segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Noite


Sujeito esquálido de dedos amarelos, entre logo naquele orelhão e faça sua ligação para deus. Não há tempo para desperdiçar quando as garotinhas de vestidos curtos ainda exalam o furor de suas juventudes maliciosas e desviam-se dos mendigos famintos com a astúcia de velhas prostitutas. Deixemos estas ruas imundas, estes seres trôpegos de corações acelerados, e voltemos à sucursal do inferno, onde os diálogos absurdos se alternam entre goles de álcool e desejos sujos que deixamos escapar por entre os lábios. Compartilharemos as euforias de nossas vidas modestas e talvez possamos encontrar um mísero instante de iluminação.

3 comentários:

Laura Cohen disse...

carai... foda o texto!

cll disse...

os substantivos são tão insignificantes por si sós ao ponto de precisarem portar sempre adjetivos?

Daniel Monteiro disse...

Que descrição, que refino! Como dizem os hobttis da Quarta Sul, "a melhor hora de se escrever é quando se está com vontade!".